segunda-feira, 19 de abril de 2010

PROJETO COPA DO MUNDO - SOBRE AS CRIANÇAS CAMARONESAS

Acerca das crianças de Camarões

As crianças de Camarões têm vozes muito lindas e agradáveis e a maioria de suas brincadeiras são cantadas. Nas escolas dominicais as crianças também cantam canções para louvar a Deus e estão muito envolvidas no culto de adoração.
As crianças camaronesas gostam muito de se divertir sós ou com seus companheiros. Andam de bicicletas, fazem trabalhos manuais com bambu, arame e madeira, para fazer homens de brinquedo, carros e bicicletas; tocam instrumentos musicais, como tambores; jogam futebol, basquetebol, voleibol, pelota de mão; nadam, dançam, se entretêm com todo tipo de jogos, aprendem a comunicar-se, a compartilhar, a negociar e a resolver suas próprias dificuldades. Também gostam de jogar com cartas, jogos de computador e assistem aos programas de TV. Em Camarões as crianças falam francês ou inglês, além de sua linguagem local. Muitos podem falar ambos: o inglês e o francês.

Dificuldades enfrentadas pelas crianças de Camarões

A educação é obrigatória em Camarões. O alto custo das mensalidades na escola secundária explica porque muitos pais não podem enviar seus filhos para continuarem os estudos. Em comparação com os meninos, há muito menos meninas matriculadas na escola primária. O sistema educativo no país tem muitos problemas, incluindo a disparidade na freqüência à escola entre as regiões rurais e urbanas; há pouco acesso à educação formal e vocacional para crianças com necessidades especiais; as crianças que têm dificuldades para aprender na escola primária vão ficando para trás; há uma alta porcentagem de deserção escolar e falta de professores de ensino básico, especialmente nas áreas rurais. Outros fatores que contribuem para uma baixa porcentagem de educação são: casamentos prematuros, gravidez indesejada, tarefas domésticas e os prejuízos socioculturais.
Costuma ser dito que Camarões é uma fonte, ponto de transição e destino do tráfico de crianças, com o propósito de usá-las em trabalho forçado, como serviço doméstico, pajens e vendedores de rua. Além da pobreza, a subnutrição golpeia mais de uma em cada cinco crianças em Camarões e põe em perigo o desenvolvimento de sua capacidade intelectual e física, além da própria sobrevivência. De acordo com o Ministério de Saúde e da UNICEF, a malária, o HIV/ AIDS e a subnutrição são as causas principais da mortalidade infantil, e as responsáveis por 77% de todas as enfermidades que afetam as crianças no país.

Brincadeiras

As brincadeiras em Camarões estão conectadas com as atividades da vida diária. Com freqüência brincam com, e na água. Mas para muitas crianças, mais que jogo, significa uma fonte de trabalho: lavando roupa, molhando as raízes para fazer torta de mandioca, pescando e transportando a pesca até as aldeias. Alguns jogos relacionam-se diretamente com o trabalho, como aprender a equilibrar uma cabaça, tubo ou lata sobre a cabeça. Aprendem também a saltar nos charcos depois de uma chuva forte, sobre os arroios a partir de uma altura, a deslizar sobre as rochas até a água, salpicando com uma bola de futebol ou tamborilando na água, como será explicado mais adiante.

Alguns jogos das crianças de Camarões:

1. Tamborilar na água

As menininhas, especialmente nas áreas rurais, batem palmas dentro e fora da água do rio. Bater a palma das mãos na água desse modo produz um maravilhoso som rítmico para que os que estiverem na praia possam dançar, cantar e seguir o ritmo com as palmas. Os que estão dentro da água também podem dançar ao ritmo desse “tambor de água”. É realmente um espetáculo contemplar um grupo de menininhas quando produzem diferentes sons que se harmonizam e produzem uma bela música. Os jogos como estes fazem que as crianças passem mais de uma hora banhando-se no arroio da aldeia ou buscando água no rio.

2. “Tigre e cabra”

Os jogadores colocam-se em círculo, muito juntos, dando-se as mãos. O tigre está fora do círculo e a cabra está dentro. Enquanto cantam a canção, o tigre está buscando uma maneira de entrar e pegar a cabra. Quando a cabra é apanhada, um novo jogador toma seu lugar. Os jogadores cantam uma canção usando o nome do tigre e os balidos da cabra. Os jogadores fazem todo o possível para proteger a cabra do tigre. Nas histórias do folclore camaronês, o tigre e a cabra são inimigos eternos. O tigre sempre termina devorando a cabra. Ao elo mais frágil do círculo, ou seja, o jogador que permite que o tigre entre no círculo, cabe converter-se na cabra, e o jogo continua.

3. Este menino/ menina não tem olhos para ver

Os jogadores estão de pé em um círculo e vão passando, de mão em mão, uma pedra ou uma moeda, enquanto o jogador de pé no meio tenta descobrir onde está o objeto. Os outros jogadores cantam: “este menino/ menina não tem olhos para ver; passa, passa, de mão em mão”. Batem palmas três vezes. Continuam repetindo a canção com as palmas. Quando um dos jogadores é apanhado com o objeto, vai para o meio do círculo e assim prossegue o jogo.
FONTE: http://www.luteranos.com.br/articles/13749/1/Culto-para-Criancas/1.html


3 comentários:

naiara kn disse...

professora,a senhora esceveu no meu trabalho que não encontrou informações no site que eu indiquei...mas colocou no seu blog as informações do site!
Fiquei sem entender.
mas mesmo assim obrigada
tchau

meire disse...

PROFESSORA AMEI O SEU PROJETO SOBRE CRIANÇAS DE CAMARÕES,VENHO AQUI TI PEDIR AJUDA POIS TENHO QUE DISSOLVER UM PROJETO SOBRE CAMARÕES COM MEU PRIMEIRO 1º DO ENSINO MEDIO QUE FALA SOBRE O PAIS E FUTEBOL ,COMIDA ,ROUPAS ,EDE TUDO E TENHO POUCO TEMPO E VENDO O TRABALHO QUE VC FEZ MUITO BOM VENHO PEDIR ESTA AJUDA ,MEU NOME É MEIRE PORFº DE ARTE .MEU EMAIL PESSOAL meiremsmartins@ig.com.br

meire disse...

PROFESSORA AMEI O SEU PROJETO SOBRE CRIANÇAS DE CAMARÕES,VENHO AQUI TI PEDIR AJUDA POIS TENHO QUE DISSOLVER UM PROJETO SOBRE CAMARÕES COM MEU PRIMEIRO 1º DO ENSINO MEDIO QUE FALA SOBRE O PAIS E FUTEBOL ,COMIDA ,ROUPAS ,EDE TUDO E TENHO POUCO TEMPO E VENDO O TRABALHO QUE VC FEZ MUITO BOM VENHO PEDIR ESTA AJUDA ,MEU NOME É MEIRE PORFº DE ARTE .MEU EMAIL PESSOAL meiremsmartins@ig.com.br