domingo, 29 de dezembro de 2013

Vamos refletir sobre a relação entre escola e família

Como promover a inclusão das famílias na escola?

A especialista Heloisa Zymanski, professora de Psicologia da Educação da PUC-SP, afirma que quando a criança percebe que seus pais estão em uma aliança com a escola, ela se sente muito mais protegida. Para Heloisa, deve partir da escola a iniciativa de criar um movimento de aproximação entre escola e família.
A reformulação da reunião de pais é importante e fundamental para que os pais queiram saber o que está acontecendo na escola. A reunião de pais não deve ser um momento de humilhação para os pais, deve ser uma reunião mais informativa, deve falar dos progressos dos alunos e das propostas da escola, lembra a especialista.
O objetivo de uma reunião de pais, por exemplo, deveria ser o de informar no início de cada bimestre, não somente aos pais, mas também aos alunos, sobre quais atividades serão realizadas em classe e em casa, que recursos e estratégias serão utilizados pelos professores, as expectativas de aprendizagem de cada disciplina e as novas habilidades a serem desenvolvidas. Nesse encontro, a equipe gestora promoveria um debate a cerca das demandas necessárias para que o trabalho pedagógico seja desenvolvido, é momento de uma escuta ativa para as sugestões e até para as críticas dos pais. Conduzir esse debate é o desafio do gestor e estabelecer parcerias com os pais poderá ser a chave do sucesso.
No entanto, a reunião de pais não deve ser a única situação de encontro entre pais e representantes da escola. Ao contrário, a equipe gestora e os professores deverão planejar outras situações de envolvimento da família na construção das práticas educativas da escola, a serem previstas no Projeto Político Pedagógico da Escola, tais como: Conselho de Escola, pais representantes de classe, AAE, organização de festas e eventos culturais, escola da família, fortalecimento dos conselhos de classe e outros.
“Qualquer ação que vá ser desenvolvida com os pais deve ser planejada junto com os pais. É você perguntar e ouvir e não chegar com uma fórmula pronta,” afirma a especialista. Por isso, é importante contar com a família, inclusive, na elaboração do Projeto Político Pedagógico da Escola. Todavia, como não há uma receita pronta, cabem às equipes gestoras e professores planejarem diferentes situações de inclusão das famílias na escola. Os pais devem ser convidados a desenvolverem atitudes de co-responsabilidade para com a formação dos seus filhos.
A primeira iniciativa da escola poderia ser a criação de diferentes formas de comunicação com os pais: bilhete, mural, boletim informativo e outras. O pai que não pudesse em algum momento comparecer à escola, de alguma forma receberia as informações da escola. Saber dos acontecimentos também ajudará a despertar o interesse daqueles pais mais afastados pelo trabalho que é desenvolvido na escola do filho.
Assim como essas, outras iniciativas devem promover o envolvimento das famílias na escola. É possível citar outras ações que de alguma forma mudaram a relação entre família e escola e têm demonstrado bons resultados pelo Brasil:
- Em Lucena, a 28 quilômetros de João Pessoa, pais, alunos e professores participam de encontros de formação. Os educadores vão de casa em casa convidar os familiares para o debate sobre diferentes temas: meio ambiente, identidade, etnia, sexualidade, saúde preventiva, cultura de paz etc. Com esse trabalho, a frequência dos pais na escola aumentou porque os pais passaram a valorizar esses momentos.
- Promover eventos e oficinas culturais lideradas pelos pais e familiares dos alunos que sabem e desejam ensinar algo para a comunidade escolar: fazer sabão com restos de óleo, brinquedos com garrafa PET, fantoches com materiais recicláveis, pipas, colchas com retalhos e outros.
- Garantir o envolvimento do Conselho Escolar em todas as atividades e a sua participação em todas as dimensões da gestão pode ser fator determinante para o bom desempenho de uma escola.

- Promover iniciativas nas quais os familiares dos alunos se fazem presentes em vários espaços escolares: auxiliam no recreio, apoiam os professores em sala de aula, abrem suas casas para a realização de reforço escolar para seus filhos e vizinhos etc.

- Em Tapoão da Serra, os professores fazem visitas domiciliares a todos os alunos. Para o sucesso desta iniciativa, existe um planejamento rigoroso que começa com o envio de uma carta aos pais informando a intenção da visita, solicitando sua autorização e marcando o dia e horário para a visita.

- Sessão de cinema, tarde de lazer com os filhos, empréstimo de livros da sala de leitura para os pais, palestras sobre tema de interesse dos pais, avós e pais convidados para contar histórias para os alunos foram algumas das iniciativas de quatro escolas do Rio de Janeiro que desejavam integrar família e escola.

- Em Cerquilho (SP), várias iniciativas compuseram um Plano de Ação que pretendia aproximar as famílias da escola: reorganização das reuniões de pais, que passaram a ser mais interativas e à noite e em dias diferentes, de acordo com o ano cursado pelo aluno; organização de dinâmicas e palestras; sorteios de livros; a informatização da rede, que possibilitou que as informações chegassem aos pais; até uma personagem foi criada (uma boneca de pano) foi criada pelos educadores para aproximarem os pais da Educação Infantil à escola.

Muitas poderão ser as iniciativas, cada escola, de acordo com a sua realidade e contexto poderão encontrar caminhos para promover a aproximação entre escola e família. O importante é que se acredite na importância deste vínculo e que, em 2014, equipe gestora e toda comunidade escolar deem uma oportunidade para essa parceria que trará muitos benefícios, principalmente, para aprendizagem dos estudantes.

Nenhum comentário: