terça-feira, 15 de novembro de 2011

EXPERIÊNCIA DE ESCRITA - NARRATIVA DE AVENTURA


AS NOVAS AVENTURAS DE HÉRCULES



No tempo em que a Terra era comandada por monstros chamados Titãs, vivia na Grécia Antiga, um rapaz chamado Hércules. Filho de Zeus, o grande deus grego, e de Alcmena, a mulher mais bela da época e considerado um dos maiores heróis de sua época, Hercules  era um semideus, extremamente forte, extremamente bruto, corajoso e dotado de  uma grande beleza e de um grande coração.



Numa manhã, chegou uma notícia até Hércules de que a filha do rei havia sido capturada por um terrível monstro e levada para a Floresta Sombria de Oceanus, que era um Titã. Ele  tinha um corpo formado pelo torso de um homem, com garras de caranguejo, chifres na cabeça, uma grande barba e uma cauda de  serpente. Todos no reino temiam os Titãs, especialmente Oceanus.


Fonte:http://www.wikinfo.org/upload/c/ce/Oceans1b.jpg
O rei, desesperado, lançou a todos os jovens do reino um desafio: quem conseguisse matar o Titã e trazer sua filha com vida de volta para casa, teria como recompensa um pote cheio de ouro e a mão de sua filha seria concedida ao herói em casamento. Sua filha, Natália, era considerada a  moça mais linda e gentil  de todo reino e sua beleza era comparada a de Afrodite, deusa do amor e da beleza. Apesar da recompesa, muitos rapazes recusaram a proposta, temendo pela própria vida. Apenas Hércules aceitou o desafio e, quase que no mesmo instante, preparou sua mochila com alimentos e roupas e algumas armas, pegou seu melhor cavalo e partiu para a  Floresta Sombria de Oceanus.

Durante sua longa caminhada, enfrentou tempestades e animais selvagens que habitavam a região. Antes que chegasse à floresta, encontrou na estrada um casebre, onde habitava um velho sábio, que o acolheu por uma noite, deu-lhe comida, água e curou seus ferimentos. Naquela mesma noite, o velho contou ao jovem, que no passado já havia enfrentado o monstro Oceanus, que havia perdido a luta contra ele e que por isso vivia solitário no pântano.  Também explicou ao rapaz que não seria fácil derrotá-lo e que para isso deveria estar preparado. Sem que Hércules tivesse tempo de falar alguma coisa, o velho tirou de dentro de um baú uma espada de ouro, que reluzia diante da pouca luz do casebre, e entregou-a ao rapaz dizendo que aquela era a única arma que mataria Oceanus.


Na manhã seguinte, Hércules agradeceu ao velho pela ajuda e seguiu seu caminho. Chegando à Floresta Sombria de Oceanus, o moço de longe avistou o Titã, que realmente era imenso e pavoroso como tinha ouvido falar. Em suas garras, presa a jovem Natália estava, aos prantos. O rapaz se aproximou com cuidado para não ser visto por Oceanus e cravou a espada de ouro nas costas no monstro, que soltou um grito horrendo e abriu suas garras libertando a moça, que caiu no chão. O rapaz ajudou a moça a se levantar e pediu que saísse correndo e se escondesse no pântano.

Como Hércules não havia acertado o coração de Oceanus, este mesmo machucado reagiu e partiu para cima de Hércules. Com sua bocarra aberta estava pronto para devorar o corajoso rapaz, que  desviou-se a tempo de impedir que a fera lhe tirasse a vida.  O Titã mais uma vez tenta agarrá-lo, mas o rapaz era ágil e se desviou mais uma vez esperando a grande chance. No entanto, quando Oceanus se ergueu e tentou se jogar sobre o rapaz, este já estava preparado. Sem que a fera percebesse, Hércules estava novamente com a espada e cravou-lhe bem no coração. O que se ouviu e viu em seguida, foi apenas  um grande urro de dor e a fera caindo cambaleante no chão.

Hércules venceu Oceanus, libertou e levou de volta para o castelo a bela princesa Natália. Mais uma vez, na Grécia Antiga, só se ouvia falar no jovem e corajoso Hércules, futuro esposo de Natália, filha do rei. Aos curiosos, posso confirmar que Natália ficou perdidamente apaixonada pelo herói da história e qual mocinha de juízo não ficaria?!


Texto adaptado por Francisca P.Martins – Professora de Português – EMEF. Prof.ª Lúcia Pereira Rodrigues.

Texto base: redação do SALUPE da aluna Natália Fernanda  de Faria, 7ºB

Sequência Didática – Narrativas de Aventura – 2011.

Nenhum comentário: